A Loucura como Consequência da Mecanização da Vida

 

Existe uma relação não estabelecida na pós-modernidade que possibilita por meio da mecanização das coisas problemas psiquiátricos como a psicose e traumas profundos, no sentido que nossa mentalidade funciona por meio da casualidade intrínseca dos fatores impostos pela vivencia terrena, o que nos deixa a mercê de novas experiências e aprendizados, muitas vezes não lhe dando o que convém ou que lhe conforta propondo a divergência e problematização daquela experiência. Continuar lendo “A Loucura como Consequência da Mecanização da Vida”

Anúncios

O homem é o Deus Adormecido; Deus é o Homem Desperto

 

“Deus é um círculo cujo centro está em toda parte e a circunferência em nenhuma parte.” ~ Voltaire 

Em um mundo cheio de pessoas propagando o medo e outros propagando guerra. Em um mundo onde a maioria das pessoas estão dormindo, presos sob o feitiço do Estado embelezado pelo excesso de consumo de uma hiper-realidade. Em um mundo onde o que não importa realmente importa mais do que o que realmente importa. É muito fácil cair entre as rachaduras. É muito fácil ficar à margem. É muito fácil cair em um estado de apatia e indiferença. Continuar lendo “O homem é o Deus Adormecido; Deus é o Homem Desperto”

Cientistas observam como uma única partícula existe em múltiplos estados – Como é possível?

 

”Matéria”: é do que átomos e moléculas são feitos no nível material-físico, é o que forma todos os objetos físicos, é tudo que nos permeia e qualquer coisa que contenha massa e volume. Quando os cientistas tentam obter uma melhor compreensão da natureza da nossa realidade, é para a matéria que eles olham. Entretanto, quando se observa a matéria no menor nível possível, eles são deixados com mais perguntas do que respostas. Continuar lendo “Cientistas observam como uma única partícula existe em múltiplos estados – Como é possível?”

A Ciência do Cérebro – Percepção vs. Realidade

Emergidos na ambição de explicar cada aspecto do mundo natural, a ciência moderna tem tropeçado em alguns obstáculos. Alguns mistérios são tão intrincados que desafiam os métodos científicos. Por exemplo, é difícil criar experimentos que nos digam o que ocorreu antes do tempo e espaço surgirem. Mas dois mistérios em particular tem sido evitados durante décadas sem maiores prejuízos. Um deles é a natureza da consciência e a outra, a realidade dos fenômenos vagamente categorizados como mítico ou sobrenatural. Entretanto, agora a ciência chegou a um novo patamar, seu estudo pelas camadas da criação está em expansão, fermentando novas ideias e teorias, argumentos e controvérsias, que talvez sejam necessárias para resolver diversos tipos de fenômenos até então indissolúveis, em particular, os chamados “milagres”, que há muito tem sido considerados provenientes da superstição ou do credo, o que leva muitos acreditarem ser pura fraude.

Continuar lendo “A Ciência do Cérebro – Percepção vs. Realidade”

Simbologias no Corpo Humano – “Os Ensinamentos Secretos de todas as Eras” (1928)

 

Ao menos uma vez, um livro que realmente faz jus ao seu título. Publicado em torno 1928, consiste de cerca de 200 páginas largas; é considerado um opus magnum. Cada um dos aproximadamente 50 capítulos é tão denso de informações que é o equivalente de um livro inteiro curto. Se você ler este livro em sua totalidade, você estará em uma boa posição para mergulhar em temas como a Kabbala, Alquimia, Tarot, Magia Cerimonial, Filosofia Neoplatônica, Mistérios, Religiões, e a teoria do Rosacrucianismo e Maçonaria. Embora existam algumas partes questionáveis ​​e polêmicas do livro, tais como o material desatualizado sobre o Islã, há também a teoria da conspiração da história impulsionado por uma seita de elite! Por muitos anos esse livro só estava disponível no seu maior formato que além de raro de encontrar, é caríssimo. Mas graças ao Secret Texts, uma versão digital foi lançada! Vamos realizar essa tradução por etapas, hoje será o capítulo “Simbologias no Corpo Humano”!

Continuar lendo “Simbologias no Corpo Humano – “Os Ensinamentos Secretos de todas as Eras” (1928)”