“O Portão de Ouro do Sol” – Arquitetura, Misticismo e Mitos (1892)

Hoje iniciamos a tradução de um incrível livro de 1892 que descreve o simbolismo do mundo real da arquitetura fazendo um paralelo usando a arquitetura para descrever a ficção, o mito e o folclore. “Arquitetura, Misticismo e Mitos” foi escrito por William Lethaby, que acredita que a arquitetura é um reflexo do macrocosmo. Ele especula que muitos dos detalhes aparentemente apenas ornamentais de edifícios clássicos na verdade são representações de aspectos da terra, do mar e do céu. Este é um daqueles livros como o Golden Bough ou a Deusa Branca (embora mais curto e com uma leitura menos desafiadora) que irá transportá-lo para o lado mito hipotético da realidade.

Vamos começar pelo capítulo VIII,  “The Golden Gate Of The Sun”. Continuar lendo ““O Portão de Ouro do Sol” – Arquitetura, Misticismo e Mitos (1892)”

Anúncios

Eudaimonia: Estados e Dimensões do Self

 

“O ultimato do fim dos atos humanos é Eudaimonia, felicidade em viver bem, da qual todos os homens desejam; todos os atos são apenas diferentes meios escolhidos para chegar à ele” ~ Hannah Arendt

Eudaimonia do grego antigo ‘εὐδαιμονία’ é um termo que literalmente significa ‘o estado de ser habitado por um bom daemon, um bom gênio’, e, em geral, é traduzido como felicidade ou bem-estar. Contudo, outras traduções têm sido propostas para melhor expressar o que seria um estado de plenitude do ser. Se refere à saúde, felicidade e prosperidade humana, especialmente como um esforço em direção arête (virtude ou excelência) e sabedoria ética. Continuar lendo “Eudaimonia: Estados e Dimensões do Self”