As Necessidades Espirituais ao Morrer: Uma Perspectiva Budista

Introdução
============

Ao discutir as necessidades espirituais ao morrer no Budismo, em primeiro lugar, precisamos considerar vários pontos-chave:

Obter uma compreensão da brevidade e preciosidade da vida considerando o que pode ajudar a nós mesmos e aos outros ao mesmo tempo da preciosidade da morte.
Considerando o que se passa após a morte.
O conceito budista da mente. Continuar lendo “As Necessidades Espirituais ao Morrer: Uma Perspectiva Budista”

Conectando-se com a dor: O Xamã como Curador Ferido

“O analista deve continuar aprendendo interminavelmente … é sua própria dor que mensura seu poder para curar.” ~ Carl Jung

O xamã é retratado na mídia como um feiticeiro; usando vodu e sangue de galinha para curar dores e doenças. Mas o xamã é muito mais que isso. É um curador ferido; tendo sofrido através de seus próprios tempos sombrios e lutado contra seus próprios demônios interiores Continuar lendo “Conectando-se com a dor: O Xamã como Curador Ferido”

Os Cinco Guerreiros Espirituais da Alma em Ascensão

“O caminho do guerreiro espiritual não é suave e doce. Não é artificialidade em ser feliz e fingir que perdoa. Não tem medo de sua própria sombra. Não tem medo de não agradar quando fala sua verdade.

Continuar lendo “Os Cinco Guerreiros Espirituais da Alma em Ascensão”

Buda, O Espírito Universal – “A Religião do Samurai” (1913) de Kaiten Nukariya

O livro “A Religião do Samurai” – Um Estudo da Filosofia e Disciplina Zen na China e no Japão de 1913 por Kaiten Nukariya, foca-se no Budismo do Norte (Mahayana) e no Zen-budismo em particular. Este pequeno livro contém uma riqueza de detalhes, bem como explicações muito lúcidas de conceitos Zen budistas aparentemente indescritíveis. Nesse post, traduzimos o capítulo IV, “Buda, O Espírito Universal”. Continuar lendo “Buda, O Espírito Universal – “A Religião do Samurai” (1913) de Kaiten Nukariya”

Técnicas de Meditação da Tradição Taoista do Curso D’Água

“A água flui e enche infinitamente, até certo limite, os cantos pelos quais está fluindo; a água não tem “medo” de qualquer lugar perigoso, de qualquer “queda” e não há nada que faça perder sua essência. Em todas as circunstâncias, permanece igual à sua natureza. ” ~ Richard Wilhelm Continuar lendo “Técnicas de Meditação da Tradição Taoista do Curso D’Água”