As Mandalas de areia varridas…

TW_TibetSand05_670

As tradições e ritos antigos tem muito a nos ensinar se pudermos aprender sem julgar, independente da crença, podemos aprender a partir de todas as religiões, e isso é incrível! Neste post falaremos sobre uma das mais belas tradições do mundo antigo que permanece com a sua essência até hoje: a criação de mandalas. Os monges budistas tibetanos tem criado mandalas há 2.500 anos, e segue sendo uma das mais belas e simbólicas tradições religiosas do mundo. Cada mandala tem o seu ponto central circundado por um círculo, um desing de simetria perfeita com um significado específico que é acompanhado de várias divindades e símbolos. Continuar lendo “As Mandalas de areia varridas…”

Mestre ou Desastre: A Arte de Viver entre a Mente e Não-Mente

 

“Um caminho espiritual genuíno não evita dificuldades ou erros, mas nos leva a arte de fazer erros despertos, trazendo-os para o poder transformador do nosso coração.” -Jack Kornfield

Seu ego é um instrumento, uma ferramenta, o mecanismo de alavancagem primitivo do self. Alguns até dizem que é o self. Ele está lá para equilibrar (mestre) ou dissociar (desastre) a nossa energia única, com a energia primordial do cosmos. É para sempre o meio de conexão e desconexão, de apego e desapego, dividida entre finitude e infinito. Quando o ego está sendo usado para dissociar, sua energia é co-dependente e é dividida entre o lamacento passado e o estar ansioso sobre o futuro.

Continuar lendo “Mestre ou Desastre: A Arte de Viver entre a Mente e Não-Mente”