7 Princípios Zen e Como Aplicá-los à Vida Moderna

“Antes da iluminação, corte madeira, carregue água. Depois da iluminação, corte madeira, carregue água. ” ~ Provérbio Zen

Em nossa visão de mundo ocidental, temos a tendência de sempre buscar um resultado final. Somos ensinados a trabalhar para um fim que justifique os meios. Estamos frequentemente condicionados a colocar o carro em busca da iluminação e a sua necessidade de alcançá-la na frente dos bois que nos levarão até lá, como se “houvesse” algum estado elevado ou exaltado “acima de tudo”. O zen ensina o oposto disso.

Continuar lendo “7 Princípios Zen e Como Aplicá-los à Vida Moderna”

Anúncios

“O Portão de Ouro do Sol” – Arquitetura, Misticismo e Mitos (1892)

Hoje iniciamos a tradução de um incrível livro de 1892 que descreve o simbolismo do mundo real da arquitetura fazendo um paralelo usando a arquitetura para descrever a ficção, o mito e o folclore. “Arquitetura, Misticismo e Mitos” foi escrito por William Lethaby, que acredita que a arquitetura é um reflexo do macrocosmo. Ele especula que muitos dos detalhes aparentemente apenas ornamentais de edifícios clássicos na verdade são representações de aspectos da terra, do mar e do céu. Este é um daqueles livros como o Golden Bough ou a Deusa Branca (embora mais curto e com uma leitura menos desafiadora) que irá transportá-lo para o lado mito hipotético da realidade.

Vamos começar pelo capítulo VIII,  “The Golden Gate Of The Sun”. Continuar lendo ““O Portão de Ouro do Sol” – Arquitetura, Misticismo e Mitos (1892)”

Acolhendo o poder espiritual da menstruação

Todo mês chega o momento em que são enviados choques convulsivos de dor para as mulheres em todo o mundo, tanto física quanto emocionalmente. É difícil imaginar um tempo em que a menstruação não fosse um tabu. No entanto, nossos ancestrais viam isso como um processo natural poderoso. Continuar lendo “Acolhendo o poder espiritual da menstruação”

A Não Violência – Do Ahinsa até a Desobediência Civil

Ahinsa é um termo Sânscrito (अहिंसा, ahimsâ, “não injúria”) que defende a não-violência. É usado no hinduísmo, jainismo e budismo, e sua primeira aparição data das escrituras hindus do ano 800 aC. C. Ahimsâ pode significar não-violência ativa e passiva, isto é, ahimsâ não é prejudicial em pensamento, palavra ou ação. Continuar lendo “A Não Violência – Do Ahinsa até a Desobediência Civil”