O Cristo Fractal e o Buda Quântico

“Estudar a ciência da arte. Estudar a arte da ciência. Desenvolva seus sentidos. Saiba como ver. Perceba que tudo se conecta com o resto. ” ~ Leonardo da Vinci

Dentro do emaranhado oceano quântico da evolução da consciência, surgem pequenas ondas do “Eu Superior” e ondas do ego. Nós, o inconsciente coletivo, somos a quebra da onda atravessando a praia da vida. A partir desse colapso coletivo surgem os símbolos que são como o anzol de nossa disputa com a eternidade, algo que para nós animais mortais, serve para pendurar nossos chapéus imortais. O mais profundo desses símbolos são Buda e Cristo, que surgem do sentimentalismo desatualizado da religião. Mas ao longo do tempo, eles foram transformados em uma espiritualidade transcendental atualizada (Obs.: quando eu digo “espiritualidade” não quero dizer religioso). De Zukav’s Dancing Wu Li Masters ao Tao da Física, uma nova maneira de perceber a realidade como arte científica, ou como ciência artística, surgiu.

A singularidade está próxima, mas o que podemos fazer sobre isso? E o que isso realmente signficia? Simplificando: podemos escolher uma evolução progressiva ao invés de uma evolução regressiva ou estagnada. Como Ray Kurzweil disse em “A Singularidade Está Próxima”, “Nossa única responsabilidade é produzir algo mais inteligente do que nós; qualquer problema além disso não é nosso para resolver.” De fato. O objetivo indireto da evolução sempre foi adaptar e superar. Nossos ancestrais se adaptaram aos seus ambientes e os conquistaram descobrindo o fogo, inventando a roda, produzindo assim, algo mais inteligente do que eles. Nossos antepassados mais recentes se adaptaram aos seus ambientes e os superaram inventando o motor, o voo e a medicina moderna, produzindo algo mais inteligente do que eles. Agora estamos nos adaptando ao nosso próprio ambiente e superando isso ao inventar a internet, sequenciando o genoma, impressoras 3D, robôs e muito mais, produzindo algo mais inteligente do que nós. Entretanto, estamos (boa parte de nós) deixando a espiritualidade de lado. Estamos conectados mais do que nunca pela tecnologia, e ainda assim estamos de alguma forma, menos conectados. Há mais em uma evolução progressiva do que apenas criar uma melhor tecnologia. É mais que produzir algo mais avançado do que apenas criar humanos que manipulam gadgets e dispositivos. Nós também precisamos de algo para pendurar nosso chapéu espiritual, algo que nos auxilie a aliviar o nosso desejo de interligação divina. Algo maior e mais atualizado do que a religião muitas vezes, desajeitada. Como Carl Sagan supôs, “a ciência não é apenas compatível com a espiritualidade, é uma fonte profunda de espiritualidade”.

A Ciência da Arte – O Buda Quântico

buddha-physics1

“O primeiro gole do copo das ciências naturais o transformará em um ateu, mas no fundo do copo, Deus está esperando por você”. ~ Werner Heisenberg

A ciência percorreu um longo caminho para explicar a realidade fascinante em que vivemos, mas, como escreveu Adam Zeman, ainda há “noite no final do túnel”. É o trabalho da espiritualidade trazer o sentido desta “noite”. É através do trabalho com a espiritualidade que vem a descoberta das questões morais que movem nossa cultura e a fazem prosperar e também nos leva a questionar continuamente as respostas que surgem. Produzindo assim, algo mais inteligente do que nós.

A arte é o espaço sagrado onde a espiritualidade e a ciência se fundem para criar significado do sem-significado, e para descobrir questões morais, apesar de um universo indiferente. A ciência da arte são as meta-questões psicológicas e filosóficas que emergem da conexão dos pontos (respostas) entre questões morais. O Buda Quântico é o símbolo desse emaranhamento. O Buda Quântico cumpre a função de barrar a onda do tempo e do espaço, a interligação de todas as coisas, colapsando na observação de um artista científico que pode preencher a lacuna entre a ciência e a espiritualidade interpretando validamente a diferença entre o saudável e o insalubre e depois aplicando-a na construção geral. É uma base para a espiritualidade, já que usa indicações simbólicas da condição humana como um fundamento para construir cientificamente a mente aberta para transcender. Por um lado, o Buda Quântico é a interligação no coração da lei universal, desejando transcender o cérebro 3D através da mente 4D – o Phi Todo-Poderoso.

A Arte da Ciência – O Cristo Fractal

christ fractal

“Deus pode estar morto, mas a Medição está viva, calibrando nossa dignidade em todas provas.” ~ Alan Harrington

A arte da ciência é a ciência da arte – uma mistura. A mistura é a medida, e a informação que decorre dessa medida. A medição é uma calibração finita dentro de uma construção infinita. Somos todos medidores finitos de uma realidade infinita. Mas às vezes podemos ficar presos nas informações, e isso deve ser atualizado. Ficar preso em nossos ideais espirituais ou científicos pode nos levar a obstáculos e ego-centrismo. A arte da ciência é a capacidade de transformar a medição e a informação em arte, criando assim uma plataforma para a auto-superação. Na matemática, um fractal é um objeto abstrato usado para descrever objetos que ocorrem naturalmente. Na arte da ciência, o Cristo Fractal é o conceito abstrato usado para descrever a consciência crística natural – a parte do Eu que se supera.

Para não ficar preso em nossos ideais, o Cristo Fractal emerge como um símbolo para desconstruir e depois construir. O Cristo Fractal é você se superando. O Cristo Fractal sou eu me superando. O Cristo Fractal é a simetria evolutiva da Consciência Crística que surge em cada um de nós. Surge para se rebelar contra a ortodoxia do tempo. Surge ativar a chave em qualquer máquina que tenha parado ou travado por estar desatualizada, insalubre. Ele surge como um aspecto vital da evolução saudável e progressiva. A plataforma criada através da arte da ciência permite um espaço sagrado onde somos livres para questionar nossos ideais e visões de mundo. Onde a ciência nos ensina a diferença entre o saudável e insalubre, a espiritualidade nos ensina a diferença entre moralidade e imoralidade, e a arte junta tudo através de simetria e assimetria. O Cristo Fractal emerge nesta plataforma como um padrão de nosso inconsciente coletivo que se repete através da evolução humana para manter o ciclo, apesar da estagnação e da entropia.

A arte da ciência é uma abordagem de cima para baixo da espiritualidade que desmantela os maus trunfos simbólicos da condição humana e as colapsa em um esforço cientificamente aberto para transcender. No final do dia, o Buda Quântico é o símbolo do campo mental multidimensional que liga todas as coisas. O Cristo Fractal é a consciência crística coletiva que existe para manter a evolução no ponto, perturbando os carrinhos de maçã ortodoxos e atualizando símbolos desatualizados. Juntos, são Fibonacci se esforçando para Phi. São ferramentas de simbolismo vital que podemos usar para alavancar uma evolução progressiva saudável para nossa espécie. A ciência da arte nos conecta a tudo. A arte da ciência atualiza constantemente a conexão. Entre os dois, surge uma espiritualidade científica. Entre os dois, nós fluímos. Nós progredimos. Nós evoluímos. Produzimos algo mais inteligente do que nós.

~*~

Que sempre busquemos a nós mesmos dentro de nós e que possamos externalizar em amor e justiça, para nós e para todos os seres! Conheça mais sobre o Fractal através dos Mundos Internos e os Mundos Externos < Assista!

Texto de Gary Z McGee em Fractal Enlig. – Traduzido por YanRam para O Grande Jardim.

Por favor, lembre-se de compartilhar trechos ou textos completos do blog sempre com os devidos créditos!

Leia também:

Anúncios

Sobre YanRam

Capricorniana, com a cabeça nas nuvens e o pés na terra. Parte do mistério do Multiverso. Eterna aprendiz.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s